cortar-carboidratos-cenouras-cruas

A MODA DO “ZERO” POR LIBIA VIEIRA

Para muitos, o emagrecer está associado à retirada de muitos alimentos da dieta habitual. Lactose, glúten e carboidratos em geral viraram os novos vilões, postos que já foram ocupados pelo ovo, abacate e até pela banana. Sim, a modinha das dietas vai alternando os alimentos, mas sempre com um ponto em comum: zero ou pouco embasamento científico .

Não vou descrever agora o que é lactose e glúten e quem realmente eles afetam, mas posso garantir que a porcentagem é bem pequena. Zerar carboidrato da dieta não significa emagrecer, necessariamente. Uma dieta “low carb” pode ser sim muito efetiva para alguns, é uma estratégia nutricional, como também há indivíduos que não são responsivos para tal. Alguns pacientes meus se identificarão com essa frase, porque já provamos em consulta isso que acabei de escrever. Então não há regras. A individualidade biológica deve ser priorizada antes de sair tirando alimentos da dieta sem uma justificativa coerente à pessoa. A dieta para ser eficaz deve ser adequada ao tipo de metabolismo da pessoa (tanto no valor calórico quanto na resposta aos macronutrientes), sustentável , ou seja, que ela consiga seguir e manter por um longo período, prazeirosa (porque dieta não é sinônimo de comer mal, sem temperos, tem que ser gostoso), adaptada à rotina e realidade do indivíduo , porque a maioria não é atleta então não precisa comer como tal. O objetivo desse post é alertar as pessoas à não seguirem dietas de Instagram (entenda todas as redes sociais). O desserviço à saúde que algumas pessoas fazem por aqui é assustador, Muitas vezes propagam mentiras alem das informações equivocadas .Glúten não faz mal pra todo mundo (apenas uma minoria!). Lactose idem.

Quer emagrecer de verdade? Então comece pelo real significado da palavra: aumentar massa magra, e não apenas perder peso na balança. Não copie dietas e treinos da internet, além  não funcionar pra vc, pode até te prejudicar. “Não ande pelo caminho traçado, pois ele conduz somente até onde os outros já foram!”

 

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *