ANTIOXIDANTES E TREINAMENTO AERÓBICO POR LIBIA VIEIRA

Produzimos radicais livres pelo simples fato de respirarmos, não tem jeito, a produção é inevitável e faz parte do metabolismo. Porém em excesso, esses radicais livres (entenda como lixo celular) podem predispor ao aparecimento de vários tipos de câncer, envelhecimento precoce, doenças crônicas não transmissíveis, entre outros . Dessa forma orientamos o consumo de alimentos antioxidantes para neutralizar os efeitos negativos desse excesso de radicais livres.

Alimentos que ricos em selênio, zinco, vitamina c, vitamina a, antocianina, glutationa por exemplo são bons aliados a esse combate. Sabemos também que o exercício físico aumenta a produção de radicais livres (maior consumo de oxigênio, maior produção, pois radicais livres são produtos da queima do oxigênio no corpo). Então fazer exercício faz mal para a saúde? Não, claro que não. Esse aumento durante o exercício é transitório pois a defesa antioxidante também é aumentada naturalmente, neutralizando os radicais.
Mas pelo fato de existir esse aumento na produção de radicais livres no exercício surgiu a moda de suplementar vitaminas e nutrientes antioxidantes para tal, a fim de neutralizar “o dano”, o que não há necessidade. Mas além de não haver necessidade pode até prejudicar adaptações fisiológicas que o treinamento aeróbico promove.

Vou explicar:
Dentro das nossas células existem locais (organelas) chamadas mitocôndrias , que é onde ocorre a “queima” da gordura. Com a evolução do treinamento , ocorre o que chamamos de biogênese mitocondrial, que nada mais é que o aumento do número dessas mitocôndrias, aumentando então a utilização de gordura como fonte de energia e dessa forma o atleta consegue preservar mais o seu glicogênio muscular para ter uma melhor performance no exercício. O organismo é mesmo incrível, não? Porém, para essa biogênese ocorrer é necessário que haja um dano celular proveniente do treino, é necessário que haja a produção desses radicais livres gerando um estresse oxidativo para promover essa adaptação fisiológica. Dessa forma, se suplementarmos antioxidantes vamos inibir esse processo importantíssimo para o indivíduo treinado, prejudicando sua evolução ao invés de melhorar.

Note que estou falando sobre suplementos, e não alimentos. O consumo de alimentos antioxidantes deve ser mantido, pois a biodisponibilidade é diferente, há um equilíbrio no corpo, e não houve até então nenhum estudo condenando os alimentos, apenas estudos com suplementos. Por isso, nem sempre mais suplementos e vitaminas significa mais saúde. Procure sempre um nutricionista antes de realizar qualquer tipo de suplementação, ele vai te orientar sobre os possíveis ganhos e prejuízos .

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *