DISRUPTORES ENDÓCRINOS: UM PERIGO IMINENTE POR VCTOR DIAS MOREIRA

O conhecimento acerca dos disruptores ou desreguladores endócrinos (DEs), talvez seja novidade para muitos. Entretanto, estas substâncias não são curiosidade para o nosso organismo.
Além dos inúmeros artigos científicos encontrados na literatura. Para dar credibilidade ao assunto, cito um recente relatório editado pela OMS (Organização Mundial da Saúde) o ?State of the Science of Endocrine Disrupting Chemicals?. Tratando-se do relatório mais completo sobre o tema, ele os traz alguns dos diversos perigos oriundos da exposição longeva dos DEs.
Alguns estudos conclusivos e outros ainda preliminares, asseguram que os Disruptores Endócrinos possam desencadear gatilhos para inúmeras doenças, ou até mesmo serem os responsáveis para o gênese destas e de outras doenças.
Os efeitos deletérios provocados pelos DEs incluem uma gama de distúrbios. Os mais abordadas incluem doenças relacionados à infertilidade, libido, puberdade precoce, anormalidades no trato reprodutivo, abortos, restrição de peso em fetos e doenças comportamentais.
Doenças como TDAH (Transtorno de Deficit de Atenção e Hiperatividade); Câncer hormônio dependente ( Câncer de mama e ovário, câncer de tireoide, câncer de próstata ); Alzheimer e Parkson, lideram o ranking dos estudos.
– Quem são os Disruptores Endócrinos, e o que eles fazem?
Tratam-se de substâncias que ligam-se aos nossos receptores hormonais e acabam alterando o equilíbrio hormonal. Eles causam uma verdadeira balbúrdia em nosso organismo, que por conseguinte permite a instalação de algumas doenças ainda não compreendidas por completo pela medicina.
Podemos encontrar os DEs em pesticidas, produtos eletrônicos, produtos de higiene pessoal, cosméticos, aditivos alimentares e principalmente em embalagens de produtos alimentícios – os industrializados.
Existem cerca de 800 químicos suspeitos, ou capazes de interferir com nossos receptores. Sempre que dissertarmos sobre o assunto, chamamos a atenção ao Bisfenol-A (BPA) ?Uma substância discriminada e proibida em alguns estados Norte-Americos e países desenvolvido. Mas, que ainda perambula pelo Brasil afora.

No Brasil, até 2011 o BPA era muito utilizado na produção de derivados do plástico, como garrafas PET, mamadeiras, copos, revestimentos internos de latas e embalagens de alimentos industrializados.
Mesmo a ANVISA reconhecendo os possíveis efeitos nocivos do BPA, por ora, essa substância ainda não fora 100% retirado dos produtos disponíveis no mercado. Todavia já existem opções BPA Free (livres de BPA)
O BPA é apenas um exemplo de DEs, assim como ele, os demais Disruptores também apresentam morfologia similar aos nossos hormônios.
Essas substâncias têm afinidade com inúmeros e variados tipos de receptores, principalmente os estrogênicos. Elas basicamente entram em competição com nossos hormônios naturais e muitas vezes acabam ocupando seus respectivos espaços. Este mecanismo desencadeia uma interação hormonal independente.
Em miúdos, quando estas substâncias ligam-se aos receptores de um determinado órgão, ocorre então uma cascata de reações que culminam na secreção assíncrona de vários hormônios.
A partir destes eventos, os órgãos ficam sujeitos à um crescimento celular desordenado, com liberação de substâncias vasogênicas. Além disso, o que nos preocupa é que a partir daí, há a produção de outros hormônios, que também estimulam outros órgãos. ?Um mecanismo conhecido como feedback que funciona como verdadeiro efeito dominó.
Para melhor assimilação, farei uma analogia grotesca, mas válida.
Imagine que seus órgãos são seus maiores bens, e que eles estão no interior de um grande cofre. Pense que alguma pessoa que não seja você mesma, tentou abri-lo com uma chave semelhante à original. Esta entra no maquinário, mas devido à pequenas alterações estruturais, ela não abre a fechadura.
Após diversas tentativas, a fechadura espana ou a chave quebra dentro do maquinário. Resultado: O cofre não foi aberto e você também não conseguirá abri-lo. Eis um grande problema!
Essa é uma pequena ilustração do que acontece quando esses Disruptores Endócrinos interagem com nossos receptores. Eles basicamente impedem que os hormônios naturais façam seus ?trabalho? e desencadeiam papéis indesejáveis.
Por fim, evite o contato direto com produtos químicos, o abuso de protetor solar, alimentos que contenham aditivos químicos e realçadores de sabor (como o Glutamato Monossódico). Distancie-se de produtos plásticos que não sejam livres de BPA. Compre mamadeiras de vidro, não deixe sua garrafa de água exposta ao sol, não tome café em copos plásticos, principalmente os descartáveis e evite aquecer vasilhas/tupperwere de plástico (marmitas) no microondas. Sua saúde agradece!
.
Dr. Victor Dias – Médico

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *