Menopausa_fh

TERAPIA HORMONAL PÓS MENOPAUSA POR VICTOR DIAS

Na atualidade mais de 60% das mulheres menopausadas utilizam em seu arsenal terapêutico a famosa receita de bolo: PREMARIN + PROVERA. (PREMPRO). Acredita-se que o uso deste medicamento implica na formação de aproximadamente 11 metabólitos desconhecidos pelo organismo feminino -estes por sua vez geram efeitos colaterais alarmantes muitas vezes maquiado por sinais e sintomas “comuns”. Para que entendam a magnitude do problema, primeiramente precisamos ser francos e objetivo acerca da origem dos hormônios. Costumamos dividi-los em duas classes.

Os hormônios isomolares, também conhecidos como bioidênticos e os não bioidênticos. A primeira categoria de hormônios (bioidênticos) pode ser adquirido tanto pela natureza como por engenharia genética recombinante (sintéticos), neste grupo não importa a origem, o que os classificam como bioidênticos é o fato de apresentarem morfologia exatamente igual aos produzidos pelo organismo humano.

Por outro lado, temos os hormônios não bioidênticos, estes são substâncias produzidas a partir de substratos naturais, todavia com “pequenas” alterações bioquímicas e morfológicas realizadas em laboratório. — Pequenas o suficiente para gerar verdadeiros estragos na vida de uma pessoa. Esta classe de hormônios vem sendo utilizada na medicina há dezenas de anos e jamais movimentaria bilhões de reais se os fossem naturais, pois tudo que é natural não pode ser patenteado, e por último não gera lucro!

O recém citado PREMARIN é um estrogênio conjugado eqüino que para sua produção as éguas são forçadas a usar um saco de borracha coletor de urina 24 horas por dia. A etimologia da palavra consiste em Pre (de pregnant que é grávida em inglês), Mar (de mare que é égua em inglês), In (de urine que é urina em inglês) ou seja: urina de égua prenhe.

O problema é que a égua prenhe tem 80% de estrona enquanto que a mulher tem 80% de estriol, estes hormônios apresentam funções totalmente divergentes e essa diferença culmina na gênese de mais os outros 11 metabólitos hormonais não existentes no corpo da mulher. Por mais irrisório que possa parecer, o PREMARIN é uma das drogas mais prescritas para a Menopausa, tanto nos EUA como no Brasil, para vocês terem ideia em 2001 ela foi eleita a droga mais vendida no mundo. Acontece que o PREMARIN faz mal até mesmo para égua não prenhe, imaginem para nossas lindas mulheres!?

Estudos atualizados comprovam que a terapia de reposição hormonal com PREMARIN eleva a chance para o desenvolvimento de câncer de mama, câncer de útero, trombose venosa profunda, enxaquecas, irritabilidade, oscilação do estado do humor, depressão, diminuição da libido, entre inúmeras outras patologias.
– Dr. meu médico ginecologista havia me dito que a terapia hormonal pós menopausa auxilia na prevenção da osteoporose, trombose e câncer, o senhor está me dizendo totalmente o contrário!

Sim. De fato, a terapia hormonal na pós menopausa reduz a incidência destas patologias, mas os hormônios a serem utilizados devem ser os bioidênticos e não os conjugados da égua! A paciente submetida aos hormônios bioidênticos deve se consultar regularmente com o médico afim de inspecionar se os hormônios administrados estão sendo aproveitados da melhor maneira, ou seja, se sua metabolização não está sendo direcionada para o estrona (estrogênio responsável pela maioria dos sintomas da menopausa).

Percebem a diferença do tratamento? Cada paciente deve ser abordado de acordo com suas particularidades, não existe um único medicamento e uma única dose que resolva de uma vez por todas os problemas advindos da idade.

Termino este post convidado você a questionar seu médico sobre a MODULAÇÃO HORMONAL com hormônios bioidenticos, aproveito também para deixar claro que a suspenção ou a introdução de qualquer medicamento sem a real assistência médica é considerado uma afronta para sua saúde. Saia do feijão com arroz, fuja da boiada.

Procure por profissionais atualizados e goze de saúde!

Dr. Victor Dias Moreira – Medicina integrativa & Longevidade
Site: www.drvictordias.com.br
Instagram: @drvictordimor

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *