UMA META É UM SONHO COM UM PRAZO POR GUSTAVO MOHALLEM

Erramos quando atribuimos às pessoas a razão e o sentido dos nossos sonhos.
É bem verdade que quando se ama, automaticamente se inicia um processo de sonhar o sonho do outro, pois lhe queremos bem e passamos a identificar o seu projeto como sendo o nosso. Cuidamos, acolhemos e passamos a torcer por ele!
Mas cuidado!
Se seu sonho for legítimo, verdadeiro e o desejo de fazer dar certo é (e sempre foi) real; você não pode (e nem deve) abrir mão dele!
Pessoas vem e vão… mas aquilo que queima em seu coração, sua missão, propósito, alvos, verdade e sentido… não podem se perder caso alguém desista!
Um chefe que você gostava, seu parceiro querido de trabalho, um amor… enfim, as pessoas até podem passar, mas a missão de seu coração, por mais duro que possa ser, precisa ser respeitada, precisa continuar!
Isso é INDIVIDUAÇÃO Junguiana.
É automático do ser humano dividir sonhos e chamar os que se ama para participar, porém se este alguém desiste pelo motivo que for, te peço: “Tenha forças pra continuar”!

Gustavo Mohallem – psicólogo do esporte e psicoterapeuta do Espaço Lio

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *